Quais alimentos ajudam a controlar as emoções?

Sentir fome é o principal gatilho para fazer uma pessoa comer, contudo ele não é o único. A comida também costuma ser uma tentativa de conter ou expressar emoções. Dada a importância deste assunto, no artigo de hoje vamos falar sobre o papel da alimentação para controlar as emoções.

Os problemas aparecem quando esse processo entra em desequilíbrio e a alimentação passa a ser um motivo de preocupação no que se refere ao domínio das emoções.

A quantidade de comida e o tipo de alimento ingerido, normalmente, não passam pelo crivo da vida saudável

Chocolate, sorvete, batata-frita e refrigerante são exemplos de alimentos protagonistas quando a pessoa está passando por um momento difícil – e também, nos momentos de comemoração –  para se ter noção do problema.

Neste contexto, você entenderá um pouco mais sobre o que é adequado na alimentação para controlar as emoções.

Leia o conteúdo até o final para conferir.

A manifestação das emoções

Na sua literalidade, a palavra emoção significa ato de deslocar ou movimentar, ou seja, colocar para fora o que está por dentro.

As emoções estão constantemente presentes na nossa vida. Algumas são previsíveis enquanto que outras aparecem de surpresa. O grande desafio neste caso é saber como lidar bem com elas, conduzindo-as para algo benéfico sem desencadear atitudes prejudiciais a saúde.

É comum encontramos pessoas com a conhecida TCAP – Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica. Ela se caracteriza pela ingestão descontrolada de comida em um pequeno espaço de tempo tendo como consequência a culpa e a repulsa pelos alimentos.

A TCAP se manifesta em indivíduos expostos a traumas psicológicos/físicos, a dietas extremamente rígidas, a altos níveis de estresse, a baixa autoestima e etc.  Este é um exemplo claro de que as emoções tomam contam da racionalidade fazendo com que a pessoa “desconte” o que está sentindo na própria comida.

Por este motivo é que as emoções precisam ser compreendidas e controladas ao longo do tempo.

Por que você precisa controlar as emoções?

As pessoas que comem demasiadamente ou ingerem fast food com alta frequência buscando motivos para ingeri-los, podem estar sofrendo de algum transtorno relacionado a comida.

Neste caso, comer passa a ser uma forma de anular um sentimento ruim ou uma situação desconfortante.

A boa notícia é que as emoções podem ser controladas com hábitos saudáveis e com a ajuda de alguns alimentos-chave.

Veja os hábitos que você pode adotar para moderar suas emoções:

  • Comer devagar, mastigando o alimento até 5 vezes antes de engolir, para transmitir a mensagem de saciedade ao cérebro;
  • Ingerir fibras, frutas e vegetais que também aumentam a saciedade;
  • Manter uma rotina de alimentação respeitando os horários estabelecidos;

Vale destacar que somente um profissional especializado pode confirmar um quadro de compulsão alimentar e indicar qual é a melhor forma de tratamento. Cada pessoa tem um comportamento singular que deve ser considerado no diagnóstico.

Sempre consulte um especialista.

Alimentação para controlar as emoções

Apesar disso, manter uma alimentação saudável pode e deve ser uma meta para todas as pessoas.

Como citamos acima, alguns hábitos e alimentos favorecem o domínio das emoções fazendo com a pessoa possa tomar decisões baseadas no que é melhor para sua saúde física e mental e não pela compulsão compensatória.

Observa abaixo as dicas de alimentação para controlar as emoções:

  • Ácido Fólico (B9): responsável pela produção de serotonina. Onde encontrar? No frango, carne bovina, amendoim, castanhas, manga, ameixa seca e melancia;
  • Ácido Ascórbico (Vitamina C): a carência de vitamina C diminui a produção de cortisol. O consumo dessa vitamina beneficia o sistema nervoso. Onde encontrar? Na laranja, morango, kiwi, acerola, tomate e pimentão;
  • Cálcio: depressão e angústia podem estar relacionadas à ausência desses minerais. Onde encontrar? No leite e derivados, brócolis, mostarda, quiabo e tofu;
  • Magnésio: assim como o cálcio, depressão e angústia podem estar relacionadas à ausência desses minerais. Onde encontrar? Na mandioca, beterraba, grão-de-bico, abacate, granola e cevada;
  • Triptofano: substâncias responsável pela produção de serotonina. Quando você estiver ansioso, invista em alimentos ricos nessa substância. Onde encontrar? Na banana, leite, carnes e ovos;
  • Ômega 3: possui papel importante na formação e manutenção do cérebro. O consumo dessa gordura aumenta o nível de serotonina, dopamina e noradrenalina, substâncias responsáveis pela sensação de bem-estar. Onde encontrar? No salmão, atum, sardinha, espinafre, agrião, linhaça, canola, nozes e castanhas.

Uma alimentação rica em nutrientes e minerais favorece o sistema nervoso e a liberação de hormônios importantes para o controle das emoções.

Leia também: A importância da alimentação para um cérebro saudável

O importante é que emoções eu vivi

A vida é feita de emoções.

Todos os dias passamos por um vai e vem de sensações únicas e necessárias para manter nossa existência. Sentir nos mantém vivos.

O problema está no descontrole e no que resolvemos fazer com essas emoções.

Frustrações, conflitos internos, estresse, rancor e medos são alguns dos sentimentos que podem nos impulsionar a fazer coisas que não queremos, como por exemplo, “descontar” na comida.

Entregar os pontos e deixar que o prazer momentâneo de comer demais ou de ingerir alimentos pobres domine suas atitudes, não é uma opção. Antes disso reflita sobre o que está sentindo, respire fundo, viva seu momento sem resistir e procure fazer algo que gosta para distrair seu pensamento.

Se a vontade de comer persistir, opte pelas diversas opções de alimentação para controlar as emoções que você conheceu aqui.

Respeite suas emoções acima de tudo.

Você também pode gostar de ler: Transforme o seu conceito de alimentação saudável

Dr. Victor Sorrentino

O médico gaúcho Victor Sorrentino carrega em seu DNA a relação com a Cirurgia Plástica. Filho de conceituado Cirurgião Plástico, respirou Medicina desde cedo e seguiu sua formação especializando-se no Rio de Janeiro.