Prevenção do câncer de mama e Outubro Rosa

Durante o Outubro Rosa, a prevenção do câncer de mama ganha grandes proporções em toda a mídia. De fato, é um assunto que merece atenção.

Os números não mentem. Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer – INCA, em 2018, foram registrados quase 60 mil novos casos de câncer de mama no país. Isso corresponde a 29% do total de diagnósticos de câncer.

Em 2017, o câncer de mama fez quase 17 mil vítimas. Em sua maioria esmagadora desses números são mulheres.

Por isso, consideramos válida a campanha para criar mais consciência sobre a prevenção do câncer de mama. No entanto, sentimos falta de conteúdos que abordem diretamente os hábitos de vida relacionados a essa doença.

Sabemos que, de todos os tipos de câncer, apenas entre 10% a 15% contam com fator genético em sua causa. Ou seja, a maioria deles é causado por nós.

Continue até o final para saber como prevenir o câncer de mama.

Por que manter os exames em dia não é suficiente?

As informações mais divulgadas sobre o câncer de mama estão relacionadas ao diagnóstico precoce com autoexame de mamas e exames preventivos.

Verificar que o câncer está se formando ainda no começo aumenta as chances de cura. No entanto, quando o câncer está no começo, ele já está formado.

Ora, se o objetivo é prevenir a doença, de nada adianta realizar o diagnóstico quando ela está começando. É preciso implementar medidas que evitem que o câncer de mama comece a se instalar.

Quando a mulher mantém a sua rotina de autoexame das mamas, embora seja importante, ela não age de forma efetiva para evitar a doença. Limitar a prevenção a esse ato é aceitar que o câncer de mama é uma condição meramente aleatória ou genética, como se não pudesse ser prevenida.

O que fazer para evitar o câncer de mama?

As doenças que se manifestam em nosso corpo, em sua maioria, são consequências de hábitos de vida que não condizem com a nossa fisiologia.

Assim, podemos elencar uma série de fatores de risco para o câncer de mama. O primeiro deles é o excesso de peso, inclusive alertado pelo próprio INCA. Prevenir o câncer de mama passa pelo controle da gordura corporal. Quanto mais alta, pior para a saúde.

Existe, ainda, toda uma gama de fatores de risco para o câncer. Intoxicação por metais pesados presentes até em muitos cosméticos, a desnutrição funcional, agrotóxicos presentes em nossos alimentos e até alterações hormonais causados pelo estresse.

A privação ao sono e o excesso de medicamentos também representa uma ameaça. Aliás, tudo que vai contra a nossa natureza tem enorme potencial para deixar-nos doente.

Leia também: Por que você se sente doente mesmo com os exames normais?

Como o Protocolo Detox ajuda a prevenir doenças?

O câncer de mama é uma das doenças que o Protocolo Detox auxilia na prevenção.

Quando devolve ao organismo seu equilíbrio e reconexão com o natural, o paciente derruba muito os riscos de desenvolver qualquer tipo de câncer e qualquer outra doença.

Ao eliminar do organismo os metais pesados, os disruptores endócrinos, os poluentes, entre tantos outros fatores que em nada contribuem para o nosso equilíbrio, você ganha saúde e disposição para viver seus dias longe de doenças.

E você deve estar pensando:

Mas, depois que eu voltar para a minha rotina, não vou conseguir manter os resultados.

Na verdade, mais que um spa médico, gostamos de nos definir como uma escola de saúde. Durante o protocolo, o paciente recebe aulas sobre o funcionamento do organismo e sobre como pode cuidar de sua saúde mesmo durante seu cotidiano.

Sendo que todos os tipos de câncer estão associados a elementos tóxicos, inclusive o câncer de mama, fazer o Protocolo Detox e seguir em um novo estilo de vida proposto pelo Spa Tour Life pode reduzir muito as chances da doença se manifestar.

Esperamos que este artigo ajude você a entender mais sobre a prevenção do câncer de mama durante este Outubro Rosa.

Até a próxima!

Dr. Victor Sorrentino

O médico gaúcho Victor Sorrentino carrega em seu DNA a relação com a Cirurgia Plástica. Filho de conceituado Cirurgião Plástico, respirou Medicina desde cedo e seguiu sua formação especializando-se no Rio de Janeiro.