Por que você se sente doente mesmo com os exames normais?

Se você está com os exames normais, mas não sente que está saudável, este artigo é para você. É muito comum que os exames laboratoriais apontem a normalidade nos níveis de algumas referências no próprio resultado.

É sempre a mesma situação: você sente que está doente, procura um médico e ele pede os exames. Então, você vai até o laboratório e logo no papel com os resultados existem alguns números que atestam a normalidade da sua contagem de plaquetas, glóbulos brancos, entre outros.

Ora, para que serviria a consulta médica se o próprio paciente pode tirar suas próprias conclusões com os números dos exames?

Se você quer saber por que isso acontece, continue até o final deste artigo.

Quem define o que é normal?

As chances de você obter resultados de exames considerados “normais” pelas referências gerais são muito altas. Isso porque os números são calculados com base nos números da maioria da população.

Os índices “normais” não tem a ver com questões médicas, mas sim com a estatística.

Imagine o índice de 500 para a testosterona. Essa referência pode ser ótima para um homem de 50 anos e péssima para um jovem de 20.

Cabe ao médico realizar a interpretação desse exame, levando em consideração gênero, idade, estilo de vida, uso de medicamentos, entre outros.

No geral, esse número está pautado naquilo que a maioria da população apresenta como ideal. Isso é demonstrado por meio de estudos que associam uma testosterona acima de 500 a:

  • Mais qualidade de vida;
  • Menos doenças cardiovasculares;
  • Menos doenças prostáticas;
  • Menos depressão;
  • Menos osteoporose;
  • Menos Sarcopenia.

Este é apenas um exemplo. Para todos os parâmetros do nosso organismo, existe um padrão estatístico e um número que é adequado para cada pessoa. Ou seja, um diagnóstico individualizado.

O problema dos parâmetros ditos “normais”

Como são baseados em dados estatísticos, os níveis considerados “normais” nem sempre são positivos. Por exemplo, pense nos níveis de alumínio e outros itens tóxicos que acumulamos no organismo.

No Spa Tour Life, trabalhamos para que o paciente fique com cada nível desse o mais baixo possível. Mas, em um exame baseado em estatística, irá apontar que é preciso ficar um pouco contaminado para atingir um nível de normalidade.

Ora, sabemos que o ideal é contar com zero contaminação!

Infelizmente, todos acumulamos esses componentes tóxicos em nosso organismo.

Por isso, é tão importante um diagnóstico individualizado como fazemos no Spa Tour Life. Aqui, realizamos não apenas os exames tradicionais, mas também a termografia, responsável por medir a temperatura de todas as áreas do corpo e identificar uma enfermidade antes mesmo que se manifeste.

Você recebe um diagnóstico multidisciplinar personalizado. É com base em suas necessidades que o seu programa de estadia no Spa Tour Life é estruturado, com as terapias mais indicadas para seu caso.

Eu espero que este artigo tenha esclarecido a você por que os exames normais dentro da estatística não garantem que você está saudável.

Até a próxima!

Dr. Victor Sorrentino

O médico gaúcho Victor Sorrentino carrega em seu DNA a relação com a Cirurgia Plástica. Filho de conceituado Cirurgião Plástico, respirou Medicina desde cedo e seguiu sua formação especializando-se no Rio de Janeiro.