Os efeitos do açúcar no cérebro que você precisa conhecer

Você já ingeriu alguma quantidade de açúcar hoje? Seja ele natural ou industrializado, esse ingrediente faz parte de muitos dos alimentos que conhecemos. Diante desta realidade, vamos falar sobre os efeitos do açúcar no cérebro.

Uma alimentação desequilibrada pode ter sérias consequências na saúde do indivíduo. O consumo exagerado de alguns alimentos é motivo para a crescente busca por tratamentos médicos.

O açúcar causa preocupação quando se fala em ter uma vida longa e saudável, considerando o fato de que as pessoas não se importam em consumi-lo adequadamente.

Dito isto, o cérebro é um dos órgãos afetados pela ingestão desregrada deste alimento. E no conteúdo de hoje você vai conhecer os efeitos do açúcar no cérebro, além de encontrar 5 formas de evitar o consumo.

Vamos conferir?

Quais são os efeitos do açúcar no cérebro?

O açúcar está presente em grande parte dos alimentos, seja de forma natural ou industrializada, a exemplo das bolachas recheadas e refrigerantes.

Assim como qualquer tipo de alimento, o principal perigo está no consumo exagerado do açúcar, o que compromete o bom funcionamento do organismo e, consequentemente, do cérebro.

De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde – o consumo diário de açúcar não deve ultrapassar a 5% do valor energético necessário por dia, ou seja, 25 gramas que equivalem a 6 colheres de sopa.

Para se ter uma noção dessa quantidade, uma lata de refrigerante tem até 40 gramas de açúcar, que seria o mesmo que 10 colheres de chá. Uma quantidade muito acima do recomendado para um dia inteiro.

A principal fonte de açúcar presente na dieta dos brasileiros vem dos produtos industrializados, e por este motivo se chama tanto a atenção para o consumo dos mesmos.

Assim como este ingrediente apresenta danos a saúde do corpo humano de forma geral, tem-se estudado, com afinco, os efeitos do açúcar no cérebro.

Efeitos do açúcar no cérebro

Desta forma, nós listamos abaixo alguns dos malefícios do açúcar no cérebro. Veja:

Depressão e ansiedade

Os picos de açúcar no sangue causados pelo consumo exagerado, são responsáveis por sintomas como, alteração de humor, irritabilidade, confusão mental e cansaço. 

Após o consumo de um alimento ou bebida abundante em açúcar, tem-se um nível elevado de açúcar no corpo seguido de uma queda repentina. Esse é o ponto em que o indivíduo passar a se sentir depressivo e ansioso.

Alterações de humor

Estudos comprovam que o consumo de alimentos ricos em açúcar e carboidratos têm influência negativa sobre os neurotransmissores que ajudam a manter o humor estável. 

A liberação de serotonina, hormônio responsável pelo humor, está relacionada ao consumo moderado de açúcar. Entretanto, a ingestão exagerada pode esgotar o funcionamento dos neurotransmissores acarretando os sintomas da depressão.

Prejudica a memória e a aprendizagem

Um estudo realizado pelo UCLA, analisou que os rato que consumiram mais açúcar durante o período de análise, tiveram danos nas sinapses do cérebro, ou seja, a comunicação entre as células cerebrais ficaram prejudicadas.

O consumo exagerado de açúcar fez com que o ratos desenvolvem a chamada “resistência insulínica”, patologia que faz com que o nível de açúcar no sangue fique descontrolado, assim como, as funções das células cerebrais.

Diante disto, tem-se um impacto negativo sobre a memória e a retenção de novos conhecimentos.

5 formas de evitar o consumo de açúcar

Sabe-se que o açúcar pode causar danos tanto para o cérebro quanto para o corpo humano como  um todo.

Com base nisso, veja 5 formas de evitar o consumo deste elemento e diminuir os efeitos do açúcar no cérebro.

Dica 1) Entenda o que está consumindo

O açúcar tem outros nomes e também pode ser conhecido como sacarose, glucose, xarope de milho, xarope de bordo, melaço e etc. Sempre consulte os ingredientes dos produtos antes de optar pelo consumo.

Dica 2) Não vá ao mercado quando estiver com fome

Se você estiver com fome ao visitar o mercado, as chances de consumir ou comprar coisa ricas em açúcar é maior. A fome desperta nosso lado compulsivo, principalmente por açúcares.

Dica 3) Dê preferência aos açúcares naturais

A natureza não nos deixou na mão, e nela também encontramos fontes naturais de açúcar para matar a vontade, a exemplo das frutas. Contudo, vale ressaltar que até mesmo o consumo de açúcares naturais deve ser controlado, dentro de uma alimentação equilibrada.

Dica 4) Reduza a quantidade

Se você não consegue abrir mão daquele docinho depois do almoço ou do sorvete no final de semana, comece sua reeducação alimentar reduzindo a quantidade ou tirando-o de bebidas como o café. Com o tempo você estará ingerindo bem menos açúcar.

Dica 5 ) Faça uma limpeza no organismo

De tempos em tempos faça uma desintoxicação de açúcar e também, de qualquer substância que cause um peso desnecessário a sua saúde. Opte por rituais caseiros ou por processos especializados, a exemplo do Protocolo Detox.

Conheça mais sobre o nosso Protocolo Detox.

desintoxicacao

Um alimento, diversas consequências

O objetivo deste artigo não é fazer do açúcar o maior vilão de todos. Nosso organismo também precisa deste alimento.

O mais importante é observar nossos hábitos, pois costuma-se ir na contramão do que é indicado para se ter uma vida longa e saudável.

Disto isto, sabe-se que o exagero sim, é vilão, quando se fala em qualidade de vida.

E que a chave para uma vida saudável está no equilíbrio e no conhecimento.

Você também pode gostar de ler: Açúcar e depressão: existe relação entre eles?

Dr. Victor Sorrentino

O médico gaúcho Victor Sorrentino carrega em seu DNA a relação com a Cirurgia Plástica. Filho de conceituado Cirurgião Plástico, respirou Medicina desde cedo e seguiu sua formação especializando-se no Rio de Janeiro.